Seu nome era Batuta, cachorro poliglota, filho de mexicano com americano que veio viver seus ultimos quatro anos no Brasil.

Batuta era realmente um ser especial, tanto que era chamado por conhecidos e desconhecidos de cachorro mágico, cachorro encantado...parecia que tinha pó de pilipimpim e por onde andava levava paz e tranquilidade, sabia fazer de uma tristeza um sorriso em seu olhar e companhia.

Para mim, mais que mágico, ele era simplesmente um ser especial e conviver com ele foi muito bom, uma honra. Essas ilustrações são uma homenagem aos quase 15 anos de convivência com este ser tão especial.

<< Retornar